Andréa del Fuego


Grace Chang



Escrito por Andréa del Fuego às 12:07 PM
[   ]




os pés e os livros

Os pés são de Marçal Aquino, el matador.


E quem acertou primeiro foi Celso Amâncio (www.fastfabula.blogspot.com). Parabéns, Celso! Você receberá os livros autografados em sua casa, só enviar o endereço pro email: delfuego@uol.com.br.

Obrigada a todos que participaram, me lembrou quermesse, só faltou cachaça quente. Foi divertido, repetiremos a dose.

Escrito por Andréa del Fuego às 10:21 PM
[   ]




deux cadeaux

Está na hora de mais um presente nesse blog. Dessa vez nada de sorteio, você precisará apenas adivinhar de quem são esses pés:





O presente é a novela Sylvia não sabe dançar, pulp fiction de costumes, último lançamento da escritora Cristiane Lisbôa. O texto foi criado a partir de um caso real ocorrido na família de Nelson Rodrigues. Eu estava com a Cris na Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro, quando ela pesquisava o assunto. Ela suava frio pelos corredores, saiu de lá carregando um peso que não era dela. No livro, a voz é de Sylvia, lírica, doida, vertiginosa.


Você também quer Sylvia não sabe dançar? Para isso é só dizer, de quem são esses pés?





Não diga agora. Você não levará apenas o Sylvia não sabe dançar, mas também outro livro de Cristiane Lisbôa, o delicioso Papel manteiga para embrulhar segredos, romance epistolar cheio de receitas culinárias que você nem precisa prepará-las pra se satisfazer, basta devorá-lo. Escrevi orgulhosamente a orelha do livro. A primeira edição está esgotada e em breve sairá a segunda fornada, mas seu exemplar está garantido nesse presente.


E então, de quem são esses pés?




A primeira pessoa que adivinhar receberá em casa os dois volumes, gentilmente autografados pela autora. Única dica: a foto é minha, portanto os pés são de alguém que eu conheço, vocês também. Moleza. Não vale colocar uma lista de nomes no comentário, vale um nome por vez. Que tal?

Escrito por Andréa del Fuego às 10:14 AM
[   ]




lançamento

Queridos todos, dia 25, nessa quarta, espero vocês.



Escrito por Andréa del Fuego às 09:46 AM
[   ]




...

"Nós nos vestíamos toda manhã para a limpeza como artistas antes de um espetáculo. Vestíamos uma fantasia. O ajudante punha um paletó que parecia um sobretudo virado do avesso. A cozinheira, de avental branco e touca, parecia estar à espera do cirurgião e do doente numa sala de operações. Eu, como numa peça folclórica a garotinha que colhe edelvias, armava um topete de madrugada!"

"Quando os ricos de verdade são deixados nus em pêlo, eles conservam uma fortuna escondida que nenhuma força terrena consegue tirar deles... sim, quando um rico de verdade que tinha cinqüenta mil acres de terra, ou uma fábrica onde trabalhavam dois mil operários, perdia tudo... ele continuava mais rico que alguém da minha raça em boa situação."

"A obsessão desse homem era achar que o burguês ainda tinha um papel no mundo... não apenas o papel de se propor a ser ou a macaquear os que antigamente, um dia, foram poderosos, num tempo em que ele, o burguês, não tinha poder... Ele, o burguês, achava que no fim poria o mundo em ordem... os patrões não seriam tão patrões quanto antigamente, e os proletários deixariam de ser a raça miserável que éramos naquela época... Ele achava que de algum modo todos se aburguesariam, uns em nível mais baixo, outros em nível mais alto, desde que ele, o burguês, preservasse o seu lugar no mundo, onde tudo e todos estavam de pernas para o ar. E um dia ele se dirigiu a mim. E disse que gostaria de se casar comigo, a empregada."

Essa é Judit Áldazó, uma das vozes do romance De verdade do húngaro Sándor Márai.

Bill Brandt

(Obrigada pelo livro, Ivana.)

Escrito por Andréa del Fuego às 10:58 AM
[   ]




Nelson de Oliveira na Sobrado



O escritor Nelson de Oliveira estará na Livraria Sobrado para uma conversa informal no segundo encontro do ciclo "Letras na Sobrado". A curadoria é do poeta Claudio Daniel e minha.

Nelson de Oliveira nasceu em 1966, em Guaíra, SP. Escritor e mestre em Letras pela USP, publicou, entre outros livros: Naquela época tínhamos um gato (contos, Cia. das Letras, 1998); Subsolo infinito (romance, Cia. das Letras, 2000); O filho do Crucificado (contos, Ateliê, 2001, também lançado no México); A maldição do macho (romance, Record, 2002, publicado também em Portugal); Verdades provisórias (ensaios, Escrituras, 2003); O oitavo dia da semana (romance, Travessa dos Editores, 2005); Ódio Sustenido (contos, Língua Geral, 2008), entre outros. Além do indispensável A oficina do escritor: sobre ler, escrever e publicar, que sorteei aqui no blog.

Em 2001 organizou a antologia Geração 90: manuscritos de computador e em 2003, Geração 90: os transgressores, com os melhores prosadores brasileiros surgidos no final do século XX, ambos para a editora Boitempo. Ainda em 2003 editou com Marcelino Freire o número único da revista PS:SP. Colabora regularmente com o jornal Rascunho (PR) e com o caderno Idéias & Livros, do Jornal do Brasil (RJ). Dos prêmios que recebeu destacam-se o Casa de las Américas (1995), o da Fundação Cultural da Bahia (1996) e duas vezes o da APCA (2001 e 2003).

Quando?
Quinta-feira, 19 de junho, às 19h
Livraria Sobrado
Avenida Moema, 493, Moema
Telefone: 5052-3540

...

No primeiro encontro recebemos Marcelino Freire. Como foi?

Atentas.



Marcelino tocando a orquestra.



Marcelino com seu próximo livro e Claudio Daniel.



O autor cercado.



...

Nos vemos nessa quinta-feira, dia 19, na companhia de Nelson de Oliveira.

Escrito por Andréa del Fuego às 09:29 AM
[   ]




rodando o blog

Faça seu pedido.



Que a baiana atenderá.



Os trabalhos começam.



Eu quero o mesmo pra você, duas vezes.



O orixá se apresenta.



E os dervixes começam a roda.



Rodam também os que olham.



Concentre-se no desejo.



Sem espiar a vontade alheia.



O sino toca.



Iemanjá comparece.



Oxalá!

Escrito por Andréa del Fuego às 02:25 PM
[   ]




Muito +

Rolou uma entrevista bacana para o Canal Ideal, da Editora Abril, canal 70 da TVA. Infelizmente não tenho acesso à TVA, se algum amigo conseguir assistir, me diga o que achou. O programa é o Muito+, conduzido pela apresentadora Laura Wie.

Nesse episódio sobre literatura contemporânea brasileria, Laura conversa com Marçal Aquino sobre a sua literatura e a cena atual. Eu falo, no sofá de casa, sobre a experiência com o blog; o crítico Manuel da Costa Pinto sobre o atual panorama brasileiro e os editores Cassiano Elek Machado e Augusto Massi da Cosac Naify sobre os processos de uma editora.

Foi exibido no dia 6, mas as reprises são muitas:

Hoje às 13h30
Qui 16h30
Sex 1h30, 13h00 e 20h30
Sab 16h30 e 19h30
Dom 14h00 e 22h00
Ter 4h00 e 11h00
Qua 7h30 e 13h30
Qui 16h30

No site do programa rola um trecho, confira.

Escrito por Andréa del Fuego às 11:27 AM
[   ]




sociedade da caveira de cristal



No dia 25 desse mês farei o lançamento do romance juvenil Sociedade da Caveira de Cristal, será na Livraria da Vila. Ele foi pensado em 2006, escrito e impresso em 2007 e virá à luz agora em meados de 2008. No começo do ano, quando soube que a nova aventura de Indiana Jones passaria pela lenda da caveira de cristal, achei boa a coincidência. Ainda não assisti ao filme, ainda não vi o quanto belisquei no mesmo objeto.

O tema que usei para o livro traz uma coincidência também afetiva. Indiana Jones foi a primeira narrativa de aventura que me lembro ter absorvido na sala da minha casa. Ficava inflada com a trilha, girava com as bolas, atravessava as pontes, pisava em cobras. Outra coincidência afetiva desse livro é a editora. A Scipione fez os livros com os quais me alfabetizei, isso é muito, mas muito especial.

A aventura se passa em um bairro em quarentena, há uma epidemia viral na cidade sem perspectiva de controle. Vítor tem 13 anos e passa a vida no computador, o isolamento no bairro e o fechamento temporário da escola deixa o menino ainda mais fechado em seu mundo virtual. Ele descobre o Skull, um jogo em rede que promete, em sua fase mais difícil, transportar os próprios integrantes e suas acões para o sonho, que é de fato a plataforma de jogo. Uma lan house onírica. Os jogadores precisam dormir e deixar as máquinas ligadas, os integrantes se encontram, conhecem a missão e o combate num sonho coletivo. É nesse meio que Vítor descobre a Sociedade da Caveira de Cristal.

Esse é Vítor, o protagonista.


Escrito por Andréa del Fuego às 11:23 AM
[   ]


[ ver mensagens anteriores ]



 
Histórico
  Ver mensagens anteriores


LIVROS


Nego fogo





Engano seu





Nego tudo





Minto enquanto posso





juvenil


Sociedade da Caveira de Cristal





Quase caio





antologias


Os Cem Menores Contos
Brasileiros do Século






Fábulas da Mercearia





30 Mulheres que Estão Fazendo
a Nova Literatura Brasileira






Doze





69/2 Contos Eróticos





35 Segredos para chegar a lugar nenhum





Contos de algibeira





Capitu mandou flores





O Pequeno Príncipe me disse

BLABLAblogue





delfuego@uol.com.br





O que é isto?