Andréa del Fuego


livro

Terminei!


Escrevi este romance pra passar a ansiedade pelo Serra Morena, romance inédito pelo qual espero resposta de algum editor. Agora, com a ansiedade dupla, dois romances inéditos, vou escrever o terceiro, que eu ganho mais.

Sociedade da Caveira de Cristal é um romance juvenil. Quando achei que fosse escrever alguma frase pra adolescentes? Nunca. Eis que uma trama “balançou no trapézio da mente” e me desafiei.

Enquanto o Serra Morena é um tributo ao meu sangue ancestral, tributo que acredito o escritor é cobrado a pagar cedo ou tarde, o Sociedade da Caveira de Cristal foi um descanso desse mergulho perturbador, do qual saí mais livre.

O primeiro foi pra abrir os trabalhos, o segundo pra sair do umbigo ancestral e que venha o terceiro romance, me desafiando pra valer.

Depois de Serra Morena, agora sim, aberta ao mundo, de vez.



Escrito por Andréa del Fuego às 03:35 PM
[   ]




do píer

Neste sábado, meu menino-marido fez  40 anos, essa idade máscula.

Feliz teu nascimento, André!

 



Escrito por Andréa del Fuego às 11:32 AM
[   ]




quadro-post

Estamos, André e eu, bem longe da cidade, reformando a calha existencial e limpando os filtros.

Pra chegar neste cyber-café em que estou agora, preciso me deslocar 8 quilômetros. Perfeito. Pensei, 21 dias sem postar, legal. Vou me afastar da virtualidade.

Trouxe telas e tintas (me botam pra dormir), além dos aparatos de escrita (o livro avança). Não sei desenhar, dou pinceladas despreocupada com a forma e a realidade. De repente, percebi um estímulo familiar no tesão com as telas, o mesmo que me leva a blogar. Escrevo nelas, pinto espaço para as palavras.

E percebi, o que estou fazendo é um quadro-post. Estou blogando nas telas. Um post pintado, com a diferença que ele não se publica. Pois bem. Fotografei alguns dos posts à guache. Sãos textos que me lembro de cor, e que já estiveram por aqui.

Eis, então, quatro posts, diretamento do píer:

 

 

...

 

 

...

 

 

...

 

 



Escrito por Andréa del Fuego às 12:19 PM
[   ]




coisa rápida

Vou ali, um pé lá outro cá, continuar o que comecei em janeiro de 2006. Pular do píer. Tô rabiscando um livrinho, esse aconteceu de repente, uma trama para rebeldes tímidos.

Pegarei email vez ou outra.
Já volto.



no copinho é cachaça

Escrito por Andréa del Fuego às 12:02 AM
[   ]




Tenho amiga que dorme

com uma dentro da gaveta. Já peguei numa, automática, num set de cinema. Mirei a parede. Na extremidade das mãos deu-me sede de fazê-la funcionar, sem o silenciador. Com ela o medo vai embora, fria, réptil, em punho. A coragem é amorfa, os metais a podem dar face. Não querendo ferir, não vista o coldre. Às aljavas, as setas.




foto: André Kertész

Escrito por Andréa del Fuego às 11:48 AM
[   ]


[ ver mensagens anteriores ]



 
Histórico
  Ver mensagens anteriores


LIVROS


Nego fogo





Engano seu





Nego tudo





Minto enquanto posso





juvenil


Sociedade da Caveira de Cristal





Quase caio





antologias


Os Cem Menores Contos
Brasileiros do Século






Fábulas da Mercearia





30 Mulheres que Estão Fazendo
a Nova Literatura Brasileira






Doze





69/2 Contos Eróticos





35 Segredos para chegar a lugar nenhum





Contos de algibeira





Capitu mandou flores





O Pequeno Príncipe me disse

BLABLAblogue





delfuego@uol.com.br





O que é isto?